Drone ultratecnológico e avaliado em R$ 21 mil é usado pelo CV para atacar rivais

Segundo moradores, faccionados rivais do Terceiro Comando Puro (TCP) e o Comando Vermelho usam drones uns contra os outros no Complexo de Israel e no Morro do Quitungo.

Avalie a matéria:
Drone usado pelo CV para monitorar e lançar granadas em rivais é avaliado em R$ 21 mil | FOTO: Reprodução

O drone utilizado por membros da facção criminosa Comando Vermelho (CV), para monitorar e lançar granadas em favelas no Rio de Janeiro tem autonomia de 46 minutos de voo, pode percorrer até 15km de distância e custa entre R$ 19 e R$ 21 mil, no site oficial do fabricante,  DJI, empresa chinesa. 

O QUE SE SABE?

  • O modelo do drone é  DJI Mavic 3; 
  • Zoom digital potente;
  • O equipamento pode fazer vídeos e fotos de alta definição e chegar a até 6 km de altura;
  • Possui piloto automático, ou seja, caso o controlador perca o sinal do aparelho, a aeronave retorna sozinha para o ponto de decolagem. O mesmo também acontece caso a bateria do drone esteja fraca.

Veja!

POLÍCIA INVESTIGA

Segundo moradores, faccionados rivais do Terceiro Comando Puro (TCP) e o Comando Vermelho usam drones uns contra os outros no Complexo de Israel e no Morro do Quitungo. A Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) confirmou que abriu uma investigação para apurar esses casos. 

O piloto profissional e instrutor de voo de drones, Leonardo Cardoso explicou que apesar das variáveis que podem atrapalhar o voo de drone em longas distâncias, o equipamento utilizado pelos criminosos é muito eficiente, até mesmo para transportar peso extra.

"Esse drone que aparece nas imagens é um modelo sofisticado, com bateria com autonomia para até 15 km. Se o vento estiver muito forte, se ele fizer muitas manobras ou estiver carregando muito peso, essa autonomia é reduzida. Mesmo assim ele pode facilmente percorrer grandes distâncias", explicou Leonardo à TV Globo.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES