Criança é baleada em tiroteio entre policiais e bandidos; vítima retornava do balé

Ela retornava de uma aula de balé quando foi atingida. A adolescente foi identificada como Ana Beatriz Barcelos Nascimento e está em estado grave.

Avalie a matéria:
Ana Beatriz Barcelos Nascimento | FOTO: Redes Sociais

Na desta quinta-feira (13), uma menina de apenas 12 anos foi baleada durante um confronto entre policiais e criminosos na Rua Magno Martins, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Ela retornava de uma aula de balé quando foi atingida. A adolescente foi identificada como Ana Beatriz Barcelos Nascimento e está em estado grave.

O QUE SE SABE?

O Corpo de Bombeiros foi acionado  às 19h45 para socorrer a menina, levada para o Hospital Municipal Evandro Freire. Ela foi alvejada nas costas, e o tiro saiu pela barriga. Policiais da 37ª DP (Ilha do Governador) foram acionados para o local, assim como o 17º Batalhão de Polícia Militar atua na região.

“Houve confronto e, após o fim dos disparos, souberam de uma criança que havia sido atingida. As armas dos agentes foram apreendidas e serão enviadas para perícia. As imagens das câmeras corporais serão requisitadas para análise; a Delegacia de Homicídios da Capital está auxiliando no andamento das investigações para esclarecer os fatos”, diz a nota da Polícia Civil.

Ana Beatriz Barcelos Nascimento | FOTO: Redes Sociais

O QUE MOTIVOU O CONFRONTO?

A Polícia Militar explicou que as “equipes da unidade realizavam patrulhamento na Rua Brigadeiro Newton Braga com objetivo de verificar denúncia de que traficantes locais estariam extorquindo motoristas de aplicativo”. “Neste momento, os agentes foram atacados a tiros por criminosos e houve confronto.”

“Posteriormente, os policiais foram informados de que uma menina teria sido atingida por disparo de arma de fogo e socorrida ao Hospital Municipal Evandro Freire. Os militares foram ouvidos e os armamentos utilizados foram recolhidos. A Corregedoria da Polícia Militar instaurou um procedimento apuratório para apurar as circunstâncias do caso, paralelamente às investigações da 37ª DP.”

A PM ressaltou ainda que a equipe utilizava câmeras operacionais portáteis, e que caso solicitada para colaboração nas investigações, as imagens serão disponibilizadas. O crime deve ser investigado.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES