Empresário é preso por bater em mulher em hotel do Litoral do Piauí; saiba quem é o acusado

O empresário Ernandio Dionísio de Carvalho foi preso após ter sido acusado de agredir uma estudante com quem se relacionava a 1 mês, dentro do quarto de um hotel em Barra Grande, no último sábado (08).

Avalie a matéria:
Foto mostra o empresário Ernandio Dionísio de Carvalho acusado de agredir a estudante Bruna Hemerly de Oliveira Freitas, marcas de agressão no pescoço da vítima e cabelos arrancados da vítima. O caso ocorreu no último sábado (08) dentro de um hotel em Barra Grande, no Litoral do Piauí | Reprodução

O empresário identificado como Ernandio Dionísio de Carvalho foi preso em flagrante sob acusação de agredir e enforcar a estudante Bruna Hemerly de Oliveira Freitas, de 26 anos. O caso ocorreu no último sábado (08) dentro de um hotel luxuoso em Barra Grande, no Litoral do Piauí. Segundo a vítima, ela ainda teria sido ameaçada pelo advogado do homem para mentir no depoimento dela à polícia.

Em entrevista ao repórter Ivan Lima, da TV Meio, a estudante contou que eles se conheceram a um mês e logo que chegaram ao hotel, ele começou a agredi-a verbalmente. Então, ele teria consumido bebidas alcóolicas e agrediu a vítima até ela ficar desacordada. 

“Quando deu cerca de 23h, um amigo dele chegou e trouxe uma amiga minha. Eu desci para o quarto, deixei ele lá, tomei banho, deitei na cama e fiquei assistindo série no meu celular. Quando deu 2h da madrugada de sábado ele entrou no quarto e já partiu para a agressão. Ele me deu várias pancadas, murros, estou com lesões no pescoço, eu estava usando unhas de alongamento em gel e na hora da briga ele arrancou as unhas de gel e minhas unhas foram junto. Ele me enforcou até eu desmaiar. Ele só parou de bater quando parei de me mexer. Depois ele foi dormir na cama e me deixou no chão como se nada tivesse acontecido”, narrou a jovem de 26 anos.

Na sequência, a estudante contou que quando recuperou a consciência tirou fotografias das lesões em seu corpo, dos cabelos dela que foram arrancados, dele dormindo ao lado das unhas dela que foram arrancadas e pediu ajuda para a recepção do hotel.

“Depois que terminei de registrar o que tinha acontecido, eu fechei minha mala e fui até a recepção do hotel para pedir ajuda, falei que eu tinha sido espancada e pedi ajuda. Falei que queria ir até a delegacia agora para fazer o exame de corpo de delito, aí eles falaram que não tinha delegacia em Barra Grande, aí eu tive que voltar para o quarto e dormir com o agressor. No dia seguinte, foi o assunto do café da manhã porque os hóspedes escutaram as agressões e meus gritos. Eu tomei café da manhã, depois tive que almoçar com ele, fiquei na piscina o resto do dia inteiro chorando porque o pessoal do hotel não tinha conseguido me mudar de quarto”, lamentou a vítima.

Fotos mostram cabelos no chão, o acusado dormindo ao lado das unhas quebradas da vítima e as marcas no pescoço dela | FOTO: Reprodução

PRISÃO DO EMPRESÁRIO 

Ainda conforme o relato da estudante Bruna Hemerly de Oliveira Freitas, o acusado só foi preso após ela entrar em contato com o proprietário do hotel e ele acionar a polícia para prender Ernandio Dionísio de Carvalho.

“Eu mandei mensagem para o dono do hotel, aí o dono do hotel que ligou para a recepção mandando me mudarem de quarto e ele mesmo ligou para a polícia e a polícia prendeu ele em flagrante”, expôs a vítima.

ADVOGADO TERIA AMEAÇADO A VÍTIMA

Após a prisão do empresário, a jovem disse que o advogado dele teria feito uma ameaça que ela poderia ser a “próxima Fernanda Lages”, fazendo referência ao caso da estudante Fernanda Lages, encontrada morta em 2011.  

“Quando ele estava sendo preso, o pessoal do hotel me mudou de quarto. Eu estava dentro desse quarto trancada, quando o amigo dele bateu na porta e me entregou o celular dele que estava em uma chamada de vídeo com um advogado. Nessa chamado de vídeo o advogado me perguntou o que aconteceu, perguntou se eu estava indo para a Central de Flagrantes e ele disse que estava indo para a Central. Depois ele me perguntou se eu sabia que ele tinha sido o advogado do caso da ‘Fernanda Lages’ e perguntou se eu queria ser a próxima”, relatou a estudante.

Bruna Hemerly contou ainda que o advogado Everaldo Sampaio entrou em contato com ela e tentou coagir ela para mentir em seu depoimento à polícia. 

“Ele falou que era para eu mentir, dizer que eu mesma machuquei o meu pescoço com as minhas unhas, para eu falar que não fui espancada, dizendo que era melhor para mim, que se não, eu não conseguiria trabalhar, que a minha imagem ficaria manchada, que as consequências iriam ser piores para mim e que no dia seguinte ele estaria solto”, narrou a vítima.

PRÓXIMOS PASSOS

O Boletim de Ocorrência contra o empresário foi feito no domingo (9), na cidade de Parnaíba. As informações são que até a manhã desta segunda-feira (10), o acusado ainda permanecia preso. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil. 

OUTRO LADO

O Meio News não conseguiu manter contato com a defesa do empresário. A reportagem está à disposição para ouvir o outro lado da história e, por isso, fornece o e-mail: redacao@grupomeio.com.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES