Brigas e drogas: polícia investiga motivação de duplo homicídio em Teresina

O caso aconteceu no último sábado (08), no residencial Pedro Balzi, região periferica da zona Sudeste de Teresina.

Avalie a matéria:
Nilton Cezar. | Reprodução

A Polícia Cívil do Piauí investiga a hipótese de que o assassinato de Gleydson Reis Alves Oliveira, morto pelo próprio cunhado com golpes de capacete, no último sábado (8), em Teresina, tenha sido motivado por brigas e uso drogas. O principal suspeito do crime, Nilton Cezar Pereira de Sousa, foi morto horas depois, supostamente, por vingança. 

Ao MeioNews, o delegado Bruno Ursulino, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa, ressaltou que a motivação inicial para a Nilton matar o cunhado, seria desentendimentos familiares pré-existentes. Segundo ele, houve uma discussão em uma residência entre os indivíduos no dia do incidente.

“Então, o que a gente tá buscando nesse primeiro caso é saber essencialmente a motivação, se por ventura foi apenas as questões do âmbito familiar ou se existiram, por exemplo, questões em relacionadas há uso e compartilhamento de drogas, alguma coisa dessa natureza respeito do primeiro homicídio”, relatou o delegado.

Segundo relatos dos próprios familiares, momentos antes de sua morte, Nilton César teria retornado à sua casa e conversado com sua companheira. Durante essa conversa, ela teria notado que ele estava machucado. Nilton teria dito que os ferimentos eram resultados da briga com o cunhado. O suspeito foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Posteriormente a esse atendimento, ele foi perseguido e morto com um disparo de arma de fogo no rosto. 

“Essa questão do homicídio dele é que a gente ainda precisa esclarecer. Precisamos saber se foi algum outro parente, que teve porventura aí essa iniciativa de promover a vingança ou se foi outra questão.  Então, são linhas de investigação que estão sendo maturadas ao longo desse inquérito que a gente tem certeza que estará desvendando tudo isso”, explicou a autoridade.

USAVAM DROGAS

“Eles disseram que os dois faziam uso entorpecente. Até isso a gente quer saber. Se eles usavam somente aquela pedrinha de área, se eles estocavam para usar, para gente saber se o móvel dessa primeira confusão pode ter sido alguma subtração de entorpecente de um ou de outro. A gente vai confirmar até o final”, pontuou o delegado.

O QUE SE SABE ATÉ AGORA:

Segundo o delegado Danúbio Dias, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), a irmã de Gleydson encontrou a vítima, de 46 anos, desmaiada no bairro Renascença-I por volta das 4h. O SAMU foi chamado e tentou socorrê-lo, mas ele faleceu ainda na ambulância. Ele foi levado diretamente para o Instituto Médico Legal - IML.

O delegado descreveu que horas depois da morte de Gleydson, Nilton, de 41 anos, foi perseguido pelas ruas do residencial Pedro Balzi por um indivíduo que disparava contra ele. Ele tentou se abrigar em algumas casas, mas foi alcançado e morto com um único disparo na face. 

O caso aconteceu no último sábado (08), no residencial Pedro Balzi, região periferica da zona Sudeste de Teresina.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES