BlackRock e Brasol selam acordo para investir no setor energético do Brasil

A empresa estadunidense busca impulsionar o fluxo de capital para infraestrutura climática em mercados emergentes

Avalie a matéria:

A BlackRock, renomada empresa de gestão e investimentos dos Estados Unidos, firmou um acordo para adquirir uma participação na Brasol, uma empresa brasileira que oferece infraestrutura para transição energética, abrangendo energia renovável, subestações e equipamentos de mobilidade elétrica, através de contratos de arrendamento de longo prazo. O valor do acordo não foi revelado, sendo apenas indicado que a fatia adquirida fica entre 40% e 50%. A transação foi intermediada pelo Climate Finance Partnership (CFP), uma iniciativa da BlackRock para promover parcerias público-privadas e impulsionar o fluxo de capital para infraestrutura climática em mercados emergentes.

Esse é o primeiro investimento da CFP na América Latina, contando com a parceria da Siemens. Até o momento, a Brasol já destinou quase US$ 1 bilhão em investimentos em ativos de energia distribuída em todos os estados do Brasil. Fundada em 2017 por Ty Eldridge e outros dois executivos com experiência em geração solar em mercados globais, a Brasol oferece aos clientes um modelo de energia "como serviço", resultando em economias imediatas nas contas de luz. A empresa compra e instala placas solares, assumindo a gestão do sistema de geração. A XP Investimentos assessorou a negociação.

Leia Mais

"A transição para uma economia de baixo carbono pode exigir investimentos de até US$ 125 trilhões, sendo que US$ 32 trilhões terão que ser alocados até 2030. Esse grande volume vai criar oportunidades de investimentos para nossos clientes, e acreditamos no potencial do Brasil de ser um destino importante de investimentos", destaca Karina Saade, presidente da BlackRock Brasil, que administra US$ 9,1 trilhões globalmente e está presente no país desde 2008.

Anmay Dittman, diretora e gerente de Portfólio da Climate Finance Partnership da BlackRock, ressalta os recentes investimentos na Tailândia, no Quênia e nas Filipinas, destacando o Brasil como um dos mercados de crescimento mais rápido para energia solar, possuindo um dos ecossistemas mais relevantes do mundo.

Ty Eldridge, CEO da Brasol, revela que a empresa opera em 26 estados do Brasil e que o investimento da BlackRock possibilitará novas instalações de energia solar, criando 5 mil empregos diretos e indiretos. Atualmente, a Brasol possui 130 MW em capacidade instalada, com a expectativa de alcançar 230 MW. Além disso, a empresa tem ampliado seu portfólio para além da energia solar, observando um interesse crescente, especialmente de indústrias, na transição para frotas de veículos elétricos. O acordo com a BlackRock está programado para ser concluído até o quarto trimestre deste ano.

Para mais informações, acesse MeioNorte.com

Veja Também
As opiniões aqui contidas não expressam a opinião no Grupo Meio.


Tópicos
SEÇÕES